Patronímico Aramaico

Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.

Mateus 16.17 – ARA

Certamente ao ler as Escrituras em uma versão da Bíblia em que o tradutor seguiu a Equivalência formal você já se deparou com o prefixo “bar”, como podemos observar no texto citado. Nesse versículo, Simão é identificado como “Barjonas”.

Mas, afinal de contas, o que quer dizer “Barjonas” ou quem era esse sujeito?

Isso é o que veremos a seguir!

O QUE É PATRONÍMICO ARAMAICO?

Se você optar por uma versão mais dinâmica do texto bíblico, não perceberá esse termo pois o seu significado o substituirá. Esse é o caso da NVI, vejamos:

Respondeu Jesus: “Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus. (Mateus 16.17 – NVI)

Repare que nesse caso o texto se torna mais simples por fazer o uso do significado ou ideia da expressão ao invés de aplicá-la na literalidade. O nome dado a esse recurso linguístico é “patronímico aramaico”.

A palavra “patronímico”, que é parte do nosso dicionário, tem por definição:

1. Diz-se de ou nome de família derivado do nome do pai ou do ascendente (ex.: nome patronímico; Heráclidas [descendentes de Hércules] e Selêucidas [descendentes de Seleuco] são patronímicos). =  PATRÔNIMO

[adjetivo]

2. Relativo ao nome do pai ou de um ascendente (ex.: sufixo patronímico).

(Dicionário Priberam)

No entanto, nas breves palavras de D.A. Carson podemos definir esse termo como: “a identificação de uma pessoa como filho de alguém”. Ou seja, apesar do nome complexo a definição é simples.

Mateus identifica Simão Pedro como filho de Jonas. Assim, o “Bar” significaria “filho” e o “Jonas” seria o nome do pai em questão.

Outra curiosidade está no uso do nome “João” em João 21.15-17 para descrever o pai de Pedro.

Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: Apascenta os meus cordeiros.
Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas.
Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas.

João 21:15-17

Apesar da diferença, Carson também nos ajuda no entendimento dessa variação ao dizer que “‘Jonas’ em aramaico é uma forma abreviada de ‘João’.”

CONCLUSÃO

Embora hoje não tenhamos tanta dificuldade com esse termo graças às novas versões disponíveis, é válido saber da existência de tal e seu significado, aplicação, tradução.

Dessa forma, quando você for explicar um texto que faça o uso de “Bar”, use esse novo conhecimento e apresente o belo PATRONÍMICO ARAMAICO.

BIBLIOGRAFIA

  • CARSON, D. A. O comentário de João. Tradução: Daniel de Oliveira, Vivian Nunes do Amaral. São Paulo: Shedd Publicações, 2007.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s